Esteira, transport ou bicicleta?

bike

A maioria das mulheres em busca de um corpo perfeito quer, primeiramente, eliminar uns quilinhos. E os exercícios aeróbicos ganham destaque. Mas qual equipamento escolher na academia? Esteira, transport ou bicicleta? Nina Garcia, personal trainer da rede Bodytech, revela os prós e contras de cada um:

Esteira 
Proporciona um gasto calórico maior. Isso acontece porque ela envolve mais grupos musculares do que o transport e a bike. E ainda possui a variação de velocidade e inclinação, permitindo que o praticante realize o chamado treino intervalado, que provoca mudanças de ritmo no corpo acelerando o metabolismo. Assim, proporciona um gasto calórico maior do que em um treino contínuo e forte. Em contrapartida, a esteira provoca um impacto maior nas articulações. Por isso, caso tenha dores nas articulações ou lesões em coluna, joelhos e tornozelos, escolha uma das outras opções.

Transport 
Os pedais fazem um movimento em forma de elipse. Imagine uma caminhada sem impacto. Ele proporciona um gasto calórico maior do que o da bicicleta ergométrica, pois envolve os braços, as pernas e o abdômen. O movimento também pode ser feito para trás, o que ajuda a mudar a dinâmica, provocando mais gasto calórico. Mas a esteira é ainda mais eficiente na hora de eliminar os quilinhos.

Bicicleta ergométrica 
Trabalha bastante os músculos inferiores do abdômen, as coxas e as panturrilhas. Por não provocar impacto nem exigir muito condicionamento físico, é a melhor opção para os sedentários, as pessoas com problemas nas articulações e as grávidas que não têm o costume de praticar outros tipos de atividade física. Mas estudos afirmam que seu gasto calórico é menor em relação aos outros dois aparelhos, por não exigir uma demanda maior de mobilidade do corpo.

Escolha pessoal
Há um detalhe em tudo isso, a individualidade biológica. Cada pessoa se adapta e tem diversas reações em cada aparelho. O ideal é que seja feita uma avaliação física para que o profissional possa indicar naquele momento qual das atividades se encaixará no seu atual condicionamento físico e como deverá ser realizado, determinando a intensidade e duração.

Ovo e abacate: os novos amigos da dieta

ovo

Entre uma dieta da moda e outra, o cardápio de alimentos permitidos varia bastante, já que cada uma tem um sistema específico para perda de peso. Mas até os clássicos vilões, inimigos número 1 na hora de obter um corpo em forma, agora são aceitos e, em alguns casos, queridinhos. Abacate e ovo, por exemplo, sempre estiveram riscados da lista de quem quer perder peso. Pura gordura e colesterol diziam, certo? Por um longo tempo, concordaríamos, mas os estudos da medicina avançaram ao longo dos anos e até eles foram liberados. “O abacate sempre foi considerado uma fruta calórica e rejeitado nas dietas restritivas. Porém as gorduras que o compõem são monoinsaturadas, contribuindo na diminuição dos níveis de colesterol e triglicérides. Além do mais, trata-se de uma fruta rica em fibras, o que promove saciedade e diminuição da fome, daí o ‘poder’ do abacate para o emagrecimento”, explica o endocrinologista Ricardo Di Rienzo, de São Paulo.

O ovo, por sua vez, não altera o nosso colesterol, pois contém uma substância chamada betaína, que ajuda o fígado a metabolizar esse colesterol, controlando assim as taxas na corrente sanguínea”, afirma a nutricionista Patricia Davidson, de São Paulo.

Por serem fontes de proteína e gordura – no caso do ovo – e de gordura – no caso do abacate -, os dois causam saciedade e inibem a fome. E você pode consumi-los de várias formas. “O ovo pode ser cozido, mexido no óleo de coco, na forma de omelete ou mesmo em preparações como suflê. O abacate pode ser consumido puro com limão ou ou até salgado, fazendo uma guacamole”, ensina Patricia.

Outros queridinhos das dietas
Além do ovo e abacate, outros alimentos estão indicados para consumo e são grandes aliados para a perda de peso. Confira:

Amêndoas: Ricas em proteínas e fibras, aumentam a saciedade.
Feijão: Com alta concentração de fibra solúvel, prolonga a sensação de saciedade.
Café: Aumenta o metabolismo em 15% e diminui a resistência insulínica.
Azeite de oliva: Regula o metabolismo.
Batata-doce: Fonte de carboidratos bons, que aumentam a saciedade. Além de conter vitamina C, potássio e cobre, que também ajudam a emagrecer.
Melancia: Rica em água, ajuda na desintoxicação do organismo.
Óleo de coco: É termogênico, pois aumenta a betaoxidação. Ele ajuda a evitar os estoques de gordura e age contra as bactérias patogênicas, mantendo um melhor equilíbrio da flora intestinal, que é importante para a boa absorção de nutrientes.

Valorize sua silhueta

biotipo

Há roupas que vestem melhor em algumas mulheres e em outras nem tanto. Para acertar no visual, é importante conhecer seu corpo e saber quais peças ficam bem em você. O primeiro passo é se olhar no espelho e prestar atenção em sua forma, quais regiões precisa disfarçar, ou até mesmo destacar, e, assim, você cria uma harmonia entre seu corpo e a roupa. Veja em qual biótipo se encaixa: mulher triângulo (quadris mais largos), triângulo invertido (ombros mais largos), retangular (pouca cintura) e oval (abdômen proeminente). E tente chegar à silhueta 8 (harmonia entre ombros, quadris e cintura mais fina). A consultora Ellen Nunes explica quais opções são melhores para cada tipo de corpo.

Quadris largos: Exigem tons escuros e estampas de padronagem pequena, de fundo escuro, para tirar a atenção da região. Para equilibrar a linha dos ombros com a linha dos quadris, use, na parte de cima, sempre tons mais claros que os de baixo. Roupas: Calça flare, vestidos e saias evasê, ombreiras leves.

Quadris estreitos: Tem que fazer exatamente o oposto de quem tem quadris largos. Use e abuse de estampas grandes e cortes com volume na parte inferior, cores vivas e claras. Parte superior escura e a inferior clara serão essenciais para dar a ilusão de um corpo mais simétrico. Roupas: Saias tulipa, míni, peplum, evasê e rodada são as mais indicadas para este tipo de corpo.

Ombros largos: Se quiser disfarçar os ombros largos, a melhor opção é sem dúvida levar o foco para a parte inferior, trazendo volume para os quadris. Roupas: Saia rodada bem volumosa ou com uma calça estampada.

Ombros estreitos: Se quiser acentuar seus ombros, opte por modelos que chamem a atenção para a parte de cima do corpo. Roupas: Blusas frente-única com brilho, uma manga ou onde o detalhe principal da peça seja nos ombros. Ou também blusas volumosas, ombreiras.

Sem cintura: A melhor forma de marcar a cintura, mesmo tendo o tronco reto, é usando cinto ou roupas cinturadas! Roupas: Vestidos com ilusão de óptica que afinam a região, cinturas justas e saias fluidas.

Tronco maior: Quando a pessoa tem o tronco maior que as pernas, o indicado é que a cintura suba. Em vez de usar cintura marcada na altura dos quadris, deve ser elevada à altura do umbigo. Roupas: Peças de cós alto são as mais indicadas.

Tronco menor: É justamente o oposto. O mais indicado é que a cintura seja marcada na altura dos quadris, dessa forma, a silhueta parecerá mais proporcional. Roupas: Peças de cós baixo são as mais indicadas.

Muito bumbum: Segue quase as mesmas regras de quem tem quadris largos. É preferível o uso de tons escuros e estampas de padronagem pequena. Roupas: Se suas pernas forem grossas, evite calças skinny e dê preferência ao modelo flare. Bolsos laterais, traseiros e jeans com lavagens muito gráficas também dão ilusão de bumbum maior.

Pouco bumbum: Deve-se sempre lembrar que, quanto menor a cintura, mais o bumbum aparece. Cores claras sempre aumentam, assim como linhas horizontais. Roupas: Saias, calças, shorts e vestidos que se encaixam perfeitamente na altura do abdômen. Saias trompete, tulipa e evasê também serão sempre uma boa pedida.

Seios volumosos: A forma mais prática e rápida de alongar o pescoço e diminuir um pouco o volume dos seios é com a gola V. Roupas: Vale lembrar que é bom evitar golas altas, frente-única e dar preferência a alças grossas.

Seios pequenos: Ao contrário do indicado para mulheres com muito busto, a gola alta é essencial para quem quer dar a impressão de ter mais volume. Roupas: Frente-única, alça fina, estampas grandes e linhas horizontais também dão a ilusão de aumento.

Inspirações para Nail Art

Atena, personagem de Giovanna Antonelli, em A Regra do Jogo

Atena, personagem de Giovanna Antonelli, em A Regra do Jogo

Com o sucesso da personagem de Giovanna Antonelli, na novela A Regra do Jogo, e suas unhas Nail Art, os salões de beleza estão mais do que nunca apostando nas garras trabalhadas.  E a Avon fez um vídeo bacana, com várias referências para esta tendência. Achei bem bonitinho o vídeo. Dá só uma olhada nas unhas divertidas.

5 dicas para deixar sua casa mais confortável

quarto

Não importa o tamanho. A casa precisa ter a cara do dono e, principalmente, ser aconchegante. Mas como dar aquele toque diferente no lar sem gastar tanto? Nathalia Favaro, do estúdio Vitrô Arquitetura, de São Paulo, entrega cinco dicas de ouro:

1. Tenha sempre um vasinho com flor em cima da mesa de jantar, um do lado da cama e outro no lavabo. Uma flor nova e diferente a cada 15 dias renova os ares da casa.

2. Um abajur com uma lâmpada de cor quente (amarela) perto de algum canto da sala em que você goste de se deitar para ler acaba tornando esse hábito mais fácil, prático e, portanto, recorrente.

3. Uma manta perto do sofá. Pode ser dentro de um baú ou dobrada, assim, dá pra se esticar e se cobrir, caso esfrie.

4. Troque os livros da mesinha de centro da sala ou ao redor de onde se senta. Assim, você também estimula a leitura.

5. Tire os sapatos ao entrar em casa. É um hábito bom para não trazer a sujeira da rua para dentro de casa e poder andar descalço ou de meia livremente.

Emagreça com o Método Ravenna

dieta4

Depois da febre das dietas proteicas, como a Atkins e a Dukan, o Método Ravenna, que chegou ao Brasil em 2009, volta ao seu lugar ao sol, ou melhor, à mesa de quem quer emagrecer. Criado pelo médico e terapeuta argentino Máximo Ravenna, o programa tem um cardápio de baixa caloria e, consequentemente, emagrecimento rápido. Isso faz com que seja bem atrativo aos olhos de quem quer perder peso e ver o resultado em menos de uma semana. “As mulheres perdem em média de 5% a 7% do seu peso por mês e os homens de 7% a 10% nesse mesmo período. Esses percentuais são mantidos ao longo de todo o tratamento, ao contrário do pensamento de que se emagrece somente no início e depois não se emagrece mais, ou em um ritmo muito lento”, explica Camila Avileis, coordenadora da equipe de nutrição do Centro Terapêutico Máximo Ravenna, de São Paulo.

O método possui três pilares: corte (de calorias, atitudes e pensamentos que possam levar à compulsão), medida (diminuir as porções e encontrar a medida adequada) e distância (ações para não voltar a comer em excesso).

Nesta dieta, diferente da Atkins e Dukan, desde o primeiro dia é permitido consumir saladas, frutas e legumes. Mas aqui a quantidade dos alimentos permitidos não é à vontade como nos programas proteicos. Há somente quatro refeições por dia: Café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar.

Como na maioria das dietas, frutas cítricas, proteínas magras, como peixes e frango, verduras, legumes, alimentos termogênicos e líquidos com baixas calorias estão entre os alimentos recomendados. Os vilões seguem com os açúcares e carboidratos refinados (farinhas, açúcar, bebidas alcoólicas e cereais). Além de frituras, queijos amarelados e doces industrializados. A água continua como um dos principais aliados, no mínimo, 2 litros por dia.

No entanto, como toda dieta, é preciso tomar cuidado com alguns pontos. A nutricionista Jaqueline Aversa, da Clínica Maria Fernanda Barca, de São Paulo, afirma que, por ser uma dieta restritiva, se não for bem controlada, os resultados não duram. “Após a etapa de perda de peso, volta-se a introduzir os alimentos excluídos durante a dieta e, se não for bem planejada, a pessoa engorda novamente. Essa dieta emagrece, porém o processo psicológico e de reeducação dos hábitos alimentares precisa estar muito claro na cabeça do paciente”, afirma ela.

Confira os alimentos permitidos, os proibidos e um cardápio de um dia:

Alimentos Amigos
Frutas cítricas
Proteínas magras (peixes e frango)
Verduras
Legumes
Alimentos termogênicos (pimenta vermelha, chá verde, canela, gengibre)
Líquidos de baixas calorias

Alimentos Inimigos
Açúcares
Carboidratos refinados (farinhas, açúcar, bebidas alcoólicas e cereais)
Frituras
Queijos amarelados
Doces industrializados

 

Cardápio de um dia

Café da manhã
Iogurte zero com uma fruta e café com leite desnatado

Almoço
Caldo de palmito
Salada de alface com tomate-cereja
Medalhão de filé de carne com purê de abóbora
Abacaxi (sobremesa)

Lanche da tarde
Ovo mexido com queijo magro e café com leite desnatado

Jantar
Caldo de legumes
Salada de folhas
Lasanha de berinjela com ricota
Gelatina diet (sobremesa)

Use lenço de várias maneiras

lenco

Os lenços podem dar um toque especial ao look quando você está naquele dia sem muita criatividade. Pode ser um simples acessório como também ser o protagonista e transformar o visual. Versatilidade é a palavra-chave. As exóticas podem usá-lo como um turbante, há também outras opções como bracelete, cachecol, uma simples amarração na bolsa, uma faixa no cabelo ou até mesmo um top, dependendo do tamanho do lenço. “O importante é observar as cores: escolha um lenço que tenha ao menos uma cor que converse com as da sua roupa. Se for estampado e a roupa também, segue a mesma regra: estampas em tamanhos diferentes (por exemplo, se o lenço tiver motivos pequenos, a roupa pode ter motivos maiores e vice-versa) com cores que se aproximem”, diz a consultora de moda Fabiana Corrêa. “O bacana é que o lenço seja mais um ponto de cor no look, não o único. É um desperdício de oportunidade usar o lenço estampado só com uma roupa lisa, por exemplo. Ou para dar cor a um look branco total ou preto total”, afirma.

A seda é o tecido mais indicado. Mas, se quiser fazer um turbante, os melhores são algodão ou malha, pois se fixam e se moldam melhor à cabeça. E qual roupa usar? “O vestido chemise pode vir com um lenço no pescoço, o terninho pode ganhar graça com este acessório e tirar um pouco o peso da formalidade. Para um vestido longo, um turbante fica lindo”, diz Fabiana.

Que tal dar a volta ao mundo?

mochialo

Nadar com o tubarão-baleia no México, dormir na casa de uma tribo nas montanhas do Vietnã, presenciar o majestoso Salar de Uyuni, na Bolívia… essas e muitas outras aventuras você pode vivenciar em uma viagem de volta ao mundo. Isso mesmo! Hoje, é possível fazer um giro pelo mundo com uma passagem específica para isso.

A Round The World (RTW) é um modelo de passagens vendido pela Star Alliance, One World e Sky Team. Lá você compra um pacote antecipado com todos os tickets para a grande viagem. O custo? Varia de 4 mil a 6 mil dólares, de acordo com os destinos. O tempo de viagem também varia – depende muito da sua disponibilidade –, mas os agentes aconselham um ano para aproveitar melhor o pacote.

Nada mal, não é? Quem experimentou, amou – e essas pessoas acreditam que esses 365 dias mudaram a vida delas. “Fui viajar porque estava descontente no meu trabalho e com a rotina no Brasil. Foi a melhor escolha que fiz na vida”, diz Mel Costa, do blog Mochileira de Rodinhas. Ela deixou seu emprego em um banco e já passou por 16 países. Faltam dois meses para voltar ao Brasil e, até o momento desta entrevista, estava na Espanha.

Mel Costa dá algumas dicas na hora de montar seu roteiro com o RTW:
– Você tem direito a até 16 trechos (escalas e trechos terrestres também contam).
– A cidade de partida deve ser a mesma de retorno.
– Todo o percurso deve durar entre 10 e 365 dias.
– A direção deve ser sempre a mesma: leste-oeste ou oeste-leste.
– Você deve cruzar o Atlântico e o Pacífico pelo menos uma vez.
– O roteiro também pode ser alterado durante a viagem, mas para isso há uma taxa de aproximadamente 125 dólares.

O RTW exige dedicação por parte do viajante na hora de escolher roteiro e datas. Não é tão simples, por isso, fique atento. Carolina Fernandes, do projeto ViraVolta, diz como foi a experiência dela: “É um quebra-cabeça. Nós fizemos nove versões de roteiros até chegar à final, usando os simuladores de passagem volta ao mundo. Durante a viagem, foi muito simples e sempre conseguimos alterar as datas dos voos gratuitamente. Apenas uma vez não conseguimos, quando tentamos alterar muito em cima da hora. É preciso uma certa organização durante a viagem para administrar a passagem”, diz Carolina. Ela viajou durante dois anos pelo mundo (de 2011 a 2013), ao lado de Alexis Radoux, seu namorado e professor de música.

“Eu trabalhava numa multinacional, minha carreira estava no auge e ganhava superbem, mas não me sentia feliz. Um dia, me dei conta de que não queria aquilo para minha vida. Sempre tive esse sonho de viajar o mundo, mas achava que tinha de ser milionária pra fazer isso. Bem no meio dessa crise, conheci um casal que tinha vendido o carro e viajado o mundo por dez meses com 35 mil reais. Aquela informação mudou tudo. Tirar um tempo para repensar a minha vida seria perfeito e fazer isso viajando o mundo não poderia ser melhor”, diz Carolina.

Depois de tantos meses de viagem e aventuras pelo mundo, o autoconhecimento é a principal lição. “A maior experiência de todas foi aprender a me conhecer melhor. Viajar por tanto tempo e em situações adversas faz você superar os seus limites o tempo todo. Essa sensação é maravilhosa e foi exatamente isso que me ajudou a mudar de vida”, afirma Carolina, que, desde então, toca o projeto para viajantes. E você? Está disposto a mudar sua rotina?

Faça seu próprio terrário

terrario

Você não tem muito jeito com plantas? Sua casa é pequena para ter um jardim ou vasos grandes? Já pensou em ter terrários? A ideia vem ganhando adeptos. Um simples pote de vidro usado pode virar um lindo ambiente para suas plantas. “Qualquer um pode fazer. É só se dedicar e escolher as plantas certas”, diz Juliana Seibel, sócia, junto com Lina Cirilo, do Jardim no Pote, de São Paulo.

Suculentas e cactos são as melhores plantas para esse tipo de cultivo. Para montar, basta seguir a sequência: uma camada de pedras maiores ao fundo, uma camada de carvão em farelos ao centro, uma camada de terra misturada com areia, uma camada de pedras mais finas coloridas para dar um toque alegre e mais uma camada de terra para fincar as plantas desejadas. “A função do carvão é evitar que a terra apodreça ou dê mau cheiro, além de ajudar na filtragem da água. E use luvas emborrachadas para o cacto não espetar sua mão”, explica Juliana.

Os vasos podem receber sol e ficar fora de casa também. “Regue uma vez por semana e pode ser pouca água já que tanto os cactos quanto as suculentas são de clima desértico”, finaliza. Os terrários do Jardim no Pote custam a partir de R$ 35, mas seria bacana você tentar fazer o seu!

As gladiadoras estão de volta

A marca Valentino apostou nas gladiadoras, que viraram até as estrelas da campanha verão 2015

A marca Valentino apostou nas gladiadoras, que viraram até as estrelas da campanha verão 2015

Durante a última edição da São Paulo Fashion Week (SPFW), algumas marcas colocaram na passarela um dos acessórios mais sexy para as mulheres: as sandálias gladiadoras. Esta tendência será bastante usada no próximo verão. Por isso, é bom aprender desde já a usá-la adequadamente. “Saias, vestidos e shorts combinam com este tipo de calçado, pois deixam as pernas em evidência. Monte um look bem simples, usando a sandália como ponto-chave da produção. Pode ser a rasteira ou até mesmo a versão mais sensual de salto, na cor preta”, diz a consultora Stéfhane Rosa.

Mas nem todas as mulheres podem usar e abusar das tiras. “Este tipo de sandália combina mais com mulheres altas e magras. As com pernas curtas e/ou gordinhas devem evitar esta escolha. A principal característica do acessório é o excesso de tiras e isso não combina com pernas grossas, pois dá ainda mais volume para a região”, afirma Stéfhane.

Dica de ouro: para favorecer a silhueta, escolha uma cor o mais próxima possível do tom natural da pele. Dessa forma, a sandália não ficará tão destacada e não proporcionará a sensação de corte nas pernas.